Os Meus Apontamentos I: Estórias de Nampula e do Sul de Moçambique.

1-03-2022

Foi lançado, sexta-feira, 25 de Fevereiro, na cidade de Maputo, o primeiro livro, não científico, da linguista, académica e docente da Universidade Politécnica, Irene Mendes, intitulado Os Meus Apontamentos I: Estórias de Nampula e do Sul de Moçambique.

Através deste livro, a autora pretende, por um lado, dar a conhecer algumas “estórias” relacionadas com crenças e superstições que existem um pouco por todo o País e que fazem parte das nossas tradições, mas, por outro lado, mostrar que, em Moçambique, é possível fazer turismo com fracos recursos, recorrendo a transportes públicos. O importante é cada um dos leitores desenvolver o espírito de aventureiro (que tem em si) e ter vontade e interesse para explorar a beleza do nosso País. Moçambique.

O livro, que sai sob a chancela da Gala-Gala Edições, tem 117 páginas e está dividido em três capítulos. O primeiro, designado “O Salto”, narra a experiência que a autora teve como docente em várias instituições de ensino após o Centro 8 de Março (em 1977), primeiro em escolas secundárias e depois no ensino superior.

O segundo capítulo “Experiências da Província de Nampula” é dedicado a “estórias” que a autora ouviu enquanto esteve a trabalhar durante dois anos em Nampula. A maior parte das “estórias” é baseada em crenças populares e superstições.

No terceiro e último “Maravilhas do Sul de Moçambique”, a autora mostra, através das palavras, vários pontos turísticos da zona Sul por si visitados, realçando a beleza das praias desta região do País.

A obra foi apresentada por Gilberto Matusse, para quem a escolha do título da obra Os Meus Apontamentos I: Estórias de Nampula e do Sul de Moçambique está ligada a uma tendência que se verifica de há alguns anos para cá, nas letras moçambicanas: a de uma certa indefinição, ambiguidade e sobreposição em termos de género literário.

Segundo Gilberto Matusse, “parece que alguns textos que têm vindo a ser escritos movimentam-se num território de intersecção entre géneros, ficando a ideia de que estão a tentar entrar num deles ou que estão a tentar evitar ser incluídos nalgum deles”.

Sobre esta aparente miscelânea de géneros, o director editorial da Gala-Gala Edições, Pedro Pereira Lopes, afirmou que a obra inaugura uma faceta literária que oscila entre dois géneros, nomeadamente a biografia e a crónica de viagem.

“Ambos os estilos dependem da memória. O livro é um convite à descoberta de lugares, vivências, crenças e sabores. Ou seja, é uma mescla de encruzilhadas várias de gerações de gentes, ensinamentos e aventuras”, sublinhou Pedro Pereira Lopes, citando Zaida Lopes Pereira, prefaciadora da obra.

Por sua vez, o reitor da Universidade Politécnica, Narciso Matos, enalteceu a autora por estar a lançar uma obra que, na sua opinião, vai contribuir para o enriquecimento da literatura moçambicana, bem como para a promoção de destinos turísticos do País, em particular os da zona Sul.

Formada em Linguística, mais precisamente em Lexicologia, pela Universidade Nova de Lisboa, para além de ser Professora Associada na área de Linguagem e Comunicação, na Universidade Politécnica, Irene Mendes é, também, directora do Instituto Superior de Altos Estudos e Negócios (ISAEN), uma unidade orgânica da mesma instituição de ensino superior vocacionada no ensino e investigação da pós-graduação.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on email
Share on print