Oficina de Arte alusivo aos 25 anos da Universidade Politécnica

28-06-2021

Mais de 50 unidades de sangue foram colectadas e emitidos mais de 150 bilhetes de identidade (BI) na segunda edição da Oficina de Arte, que decorreu entre o dia 28 Junho e 5 de Julho, em Maputo, inserida no âmbito das celebrações dos 25 anos de existência da Universidade Politécnica.

Trata-se de um evento que englobou actividades como feira de saúde, exposição de arte, desenho artístico entre outras, visando a troca de experiências entre estudantes, artistas e amigos da universidade.

A Directora Executiva da Universidade Politécnica, Graça Comar, disse que o balanço do evento é positivo, na medida em que a instituição, por ter acompanhado as dificuldades que o Hospital Central de Maputo (HCM) tem na colecta de sangue, associado à pandemia da Covid-19, decidiu lançar a campanha de doação de sangue por um lado e por outro a campanha de angariação de bens não perecíveis para apoiar a população deslocada de Cabo Delgado.

“Colectamos mais de 100 quilos de produtos diversos e alguns bens alimentares ao nível de todas as unidades da Universidade Politécnica. É uma prática habitual desta instituição promover este tipo de actividades. Por termos acompanhado as dificuldades que o HCM tem na colecta de sangue, decidimos apoiar e conseguimos mais de 50 unidades de sangue. Fora isso, estivemos envolvidos na campanha de doação de vários artigos, como calçado, vestuário e bens não perecíveis para apoiar as populações vítimas dos ataques terroristas, em Cabo Delgado’’, explicou Graça Comar.

Por sua vez, uma das beneficiárias da emissão de BI, Natália Tavares, docente da universidade, afecta ao Gabinete de Graduações, enalteceu a iniciativa da universidade, por facilitar a emissão dos bilhetes de identidade e também a doação do líquido vital que vai ajudar aos doentes necessitados.

“Eu acho que a iniciativa é boa, porque não é morosa. Ao contrário, poderia levar dois ou três dias para obter o bilhete de identidade. Consegui tratar o documento e dentro de 15 dias estará pronto”, frisou Natália Tavares.

Sueyla Faizal Carsane, aluna de colégio privado da cidade de Maputo, disse que teve a informação de que a Universidade Politécnica estava a emitir e a renovar bilhetes de identidade, por intermédio da sua tia que é estudante da instituição e não perdeu a oportunidade para renovar o seu documento de identificação.

“Eu queria renovar o bilhete, mas devido às enchentes e por conta da Covid-19, tinha receio, mas a minha tia falou-me desta oportunidade e hoje vim aqui para tratar e já fui atendida. Foi rápido’’, concluiu a aluna.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on email
Share on print