Oração de sapiência: Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs)

20 de Maio de 2021

Para a mitigação dos primeiros efeitos da pandemia da Covid-19, no contexto educacional, é preciso que o governo e os gestores das instituições de ensino e aprendizagem priorizem a massificação do uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) no seio dos estudantes, considera o académico Luís Neves João Domingos, académico e director do Centro de Informática da Universidade Eduardo Mondlane (UEM).

O académico falava, quinta-feira, 20 de Maio, em Maputo, durante a oração de sapiência, por si proferida, que marcou a abertura do ano lectivo 2021, do Instituto Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias (ISGCT), uma unidade orgânica da Universidade Politécnica.

Na ocasião o orador referiu que o contexto actual, principalmente o educacional, requer a aquisição de ferramentas tecnológicas, mas também a adequação para que exista uma literacia do público e uma capacidade instalada para o manuseamento efectivo das TICs.

“As instituições de ensino e aprendizagem não podem promover a exclusão dos alunos induzida pela pandemia da Covid-19. Temos que olhar e introduzir estratégias que sejam pontuais, porque a Covid-19 é um contexto que passamos temporariamente, mas é também uma oportunidade para reflectirmos e adaptarmos estratégias que possam perdurar numa fase pós Covid. O contexto em que nos encontramos traz-nos muitos desafios. Devemos olhar para estratégias que sejam de longo e médio prazo, tendo em conta algumas intervenções específicas de momento, para garantir que no futuro esse legado fique e beneficie à instituição para a melhoria daquilo que é o seu processo de ensino, aprendizagem e investigação no concreto”, explicou o orador.

Por sua vez, o vice-reitor da Universidade Politécnica, Cristiano Macuamule, disse que a massificação do uso das TICs é a concretização do futuro tecnológico, no contexto educacional em especial, porém, o processo deve obedecer etapas e deve virar cultura nacional, de tal forma que as ferramentas passem a fazer parte do DNA nacional.“Para a Universidade Politécnica, a aula de sapiência veio encaixar-se naquilo que são as mudanças e as adaptações que o ISGCT tem estado a implementar desde o ano passado”, sublinhou o vice-reitor.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on google
Share on whatsapp
Share on email
Share on print