IMG 3116Universidade Politécnica reestrutura engenharias

 

A Universidade Politécnica extinguiu, na terça-feira, 07 de Maio, em Maputo, através do artigo 34, número 1, dos estatutos desta instituição, o departamento de Ciências Tecnológicas, criando o departamento de Engenharias, com responsabilidade sobre todos os cursos relacionados.
No âmbito desta medida, que visa a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem, tomaram posse os novos elementos, nomeadamente o director adjunto científico-pedagógico, um chefe de departamento e dois conselheiros, que passam a dirigir as áreas de engenharias.


O Mestre Alberto Razul assumiu o cargo de Director Adjunto Científico-Pedagógico da Escola Superior de Gestão, Ciências e Tecnologias (ESGCT) e o Prof. Doutor Eng. Ruy Moreira Cravo passa a liderar o Departamento de Engenharias. Por sua vez, o Mestre Ângelo Mário Sumana e o Eng. Sidique Abubacar Fumo passam a exercer as funções de Conselheiros dos Cursos de Engenharia Civil e de Engenharia Eléctrica, Informática e de Telecomunicações, respectivamente.

O Prof. Doutor Narciso Matos, Magnífico Reitor da Universidade Politécnica, disse que a reestruturação do corpo docente e directivo tem por objectivo reorganizar o sector das engenharias, através de uma pluridisciplinaridade entre os cursos de Engenharia Civil, Engenharia Ambiental, Engenharia Eléctrica, Engenharia Informática e de Telecomunicações e Engenharia de Informática de Gestão.

“Nós da Universidade Politécnica estamos sempre à procura de melhorar a qualidade da formação e sobretudo nas áreas de engenharias e vimos a oportunidade de crescimento nestas áreas. Pretendemos uma maior interacção no mundo do trabalho”, realçou o Reitor. 
Por sua vez, o Prof. Doutor Eng. Ruy Cravo disse que aceitou o desafiou porque a Universidade Politécnica tem que começar a entrar para o país, através de projectos, investigação direccionada e estudo dos modelos que estão noutras universidades.
“Os alunos têm maior empenho em aprender e os novos aspectos são a investigação e a criação de projectos”, disse o Prof. Doutor Eng. Ruy Cravo. 
Por sua vez, o Mestre Alberto Razul referiu que com a criação da Chancelaria, terá que estudar os novos desafios para responder às demandas. “Nós estamos cá para responder aos novos desafios”, sublinhou o Mestre Alberto Razul. 
Importa referir que vai decorrer, ainda este ano, a revisão curricular que cingir-se-á sobre todos os cursos que devem ter cinco anos de aplicação prática e, a partir de 2020 e 2021, deverão iniciar novos cursos.