Reforma do Ensino Técnico-Profissional no Instituto Médio Politécnico

REPTO-IMEP

ASSINATURA CONTRATO FUNDE JOBA (1)

 

O Programa de Reforma do Ensino Técnico-Profissional no Instituto Médio Politécnico (REPTO-IMEP) da FUNDE-Fundação Universitária para o Desenvolvimento da Educação, vai formar, durante três anos, um total de 744 técnicos médios, distribuídos em seis cursos, nas áreas de manutenção industrial e construção civil, nas províncias de Tete e Nampula.

Para a materialização deste objectivo, a FUNDE celebrou, na sexta-feira, 3 de Novembro, em Maputo, um acordo de parceria com o JOBA, um programa financiado pelo UKaid/DFID (Departamento para o Desenvolvimento Internacional do Reino Unido), numa cerimónia que serviu, igualmente, para o lançamento oficial do projecto.

Com efeito, foram escolhidas as cidades de Tete e Nampula, para a implementação do programa, cuja vocação é formar e graduar técnicos profissionais do nível médio, por nelas existir um número elevado de potenciais beneficiários, constituído por jovens desempregados de ambos os sexos, com idades entre 15 e 35 anos, com condições económicas baixas e níveis de formação entre a 10ª e a 12ª classes.

ASS_CONTRATO_FUNDE_JOB.JPGPALESTRA_VIOLENCIA_DOMESTICA.JPGPUBLICO_PALESTRA_VIOLENCIA_DOMESTICA.JPG

 A expectativa, segundo referiu a directora executiva da FUNDE, Profa. Doutora Rosânia da Silva, é de que o sucesso, que vai resultar da implementação deste programa de formação, venha a estimular a expansão da reforma nos restantes cursos do IMEP - Instituto Médio Politécnico.

“Para assegurar o alcance deste objectivo, o REPTO-IMEP vai cooperar com outras agências e instituições para oferecer apoio para a empregabilidade e autoemprego dos graduados, através de programas que vão incluir a criação de núcleos de interesse, formação sobre empreendedorismo, inglês técnico e higiene e segurança no trabalho, assim como criar, registar e gerir um negócio, acesso às fontes de financiamento, entre vários outros aspectos”, indicou a directora executiva da FUNDE.

Num outro desenvolvimento, a Profa. Doutora Rosânia da Silva destacou que, por forma a garantir a retenção de jovens de classe média-baixa, o REPTO-IMEP vai estabelecer um sistema de apoio financeiro em alojamento e alimentação, incluindo o apoio psicológico, de saúde preventiva e materno-infantil, para propiciar as mais elevadas condições de aprendizagem.

Por sua vez, Flor E. Healy, Team Leader do JOBA, uma instituição vocacionada para a capacitação de jovens homens e mulheres para o trabalho, disse que o desafio da formação de jovens em Moçambique não é fácil, sendo a falta de mão-de-obra qualificada uma das principais dificuldades para o desenvolvimento económico do País.

“Enfatizamos o desenvolvimento de competências para o emprego, ajudando a fortalecer a capacidade dos provedores da formação e inserção de graduados no mercado de emprego”, frisou.

Ainda no mesmo dia, a FUNDE assinou um protocolo com a Multicultural Sharing Foundation, visando o reforço da promoção, valorização de projectos e parcerias em várias actividades, nomeadamente nas áreas da educação e investigação, formação pedagógica e de docentes, em conformidade com o sistema multicultural e multilíngue, promovido e gerido pela Sharing Foundation, bem como a possibilidade de desenvolvimento de outras iniciativas comuns.

No prosseguimento das suas acções, a Universidade Politécnica acolheu, igualmente, uma palestra subordinada ao tema “Violência Doméstica na Sociedade Moçambicana”.

Com a Chefe da Bancada Parlamentar da Frelimo, Margarida Talapa, como oradora principal, a iniciativa teve por objectivo reflectir sobre a violência doméstica, fenómeno que afecta a sociedade moçambicana e insere-se no ciclo de palestras organizado pela OMM - Organização da Mulher Moçambicana e o partido Frelimo, distrito académico.